logo

Telefone: (11) 3024-9500

5 dias para Comer, Rezar e Andar em Quioto | Qual Viagem Logo

Quioto

5 dias para Comer, Rezar e Andar em Quioto

17 de fevereiro de 2016

Quem nunca sonhou em conhecer o Japão? Geralmente a frase que imediatamente vem à cabeça é “mas é muito longe”, ou ainda “é muito caro” ou para bloquear de vez “a língua é um problema e vou passar fome lá !”. Estes tais pensamentos negativos são genéricos para quaisuqer viagem que vá fazer, e é justamente na superação de alguns obstáculos que recebemos prêmios pelo nosso planejamento, pela nossa coragem e pela nossa determinação.

Situada a Oeste de Tokyo e mais precisamente na região Centro-sul do Japão, Quioto, é a recompensa para quem decidiu superar estes desafios. Uma recompensa que vai lhe fazer crescer em espírito, em cultura e lhe dará uma nova visão da vida. Além do abundante espetáculo da natureza (principalmente na época das cerejeiras), existem mais de dois mil templos e santuários que vão lhe ajudar a expandir e a enxergar o quanto temos que valorizar o nosso tempo de passagem aqui na Terra.

Mas calma, não é necessário visitar todos os templos, até porque pode se tornar cansativo e as paisagens começam a ser sempre as mesmas. Então para tirar o máximo proveito da cidade, veja abaixo as nossas dicas:

 

Chegando e Circulando

Basicamente para se chegar ao Japão, pode-se ir via Estados Unidos, via Europa, ou via Oriente Médio. Tudo depende do seu roteiro de viagem e do que pretende visitar. A sugestão é para que inclua um destino de 2 ou 3 dias em algum lugar no caminho para a viagem não ficar tão maçante. Se precisar de ajuda consulte o The Explorer .

Já no Japão, os aeroportos de chegada ficam em Nagoya ou Narita, a 130 km e 530 km de Quioto, respectivamente. Mais uma vez vai depender do seu roteiro completo para saber por onde vale a pena chegar. Mas tenha em mente, que independente de por onde chegue, será muito fácil tomar um trem para Quioto. De Narita, poderá pegar um trem-bala (shinkansen), onde a viagem leva em torno de 3h30 e custa em torno de ¥9,300. Já de Nagoya, a viagem dura em média 1h50 e custa ¥2,600.

 

Shinkansen

O trem bala – Shinkansen – fonte: The Explorer

No caso de estrangeiros, é interessante verificar a possibilidade de comprar um JR Pass  que lhe dá direito de inúmeras viagens de trem (incluindo as de trem-bala) por um determinado número de dias.

 

Chegando em Quioto, é muito fácil circular partindo da estação central, a Quioto Station. Embora a cidade conte com uma pequena malha de metro, as linhas de ônibus são bem servidas para os principais pontos turísticos. E é claro, em último caso também há os taxis, onde os taxistas usam uniforme e luvas, além de abrir a porta automaticamente para você.

 

Taxi em Quioto

Taxi em Quioto – fonte: Flickr

 

No Japão em geral, e principalmente em Quioto é difícil encontrar alguém que fale Inglês fluentemente. Mas não se preocupe, as rotas turísticas são bem sinalizadas (as vezes até em excesso, fazendo você ficar ainda mais em dúvida). E caso necessite perguntar por informações, os japoneses vão ser esforçar ao máximo para conseguir se comunicar e orientar. Muitas vezes já estão providos com pequenos textos em inglês, para que você leia e assim ter maiores informações sobre o local.

 

Atrações

 

Para visitar Quioto sem pressa, a sugestão é reservar 4 ou 5 dias. Deve-se incluir junto a essa visita, outras cidades próximas como Osaka, Nara e Hiroshima que fazem parte de um roteiro maior ao se visitar o Japão (falaremos em um futuro Post). Consulte a equipe do The Explorer para tem um roteiro completo !

Quioto em si não é uma cidade muito bonita, parece mais uma das cidades nipônica que foram congeladas nos anos 80. Entretanto, as joias da coroa estão espalhadas pela periferia da cidade, nos magníficos templos que nos enchem os olhos de emoção. Em geral a entrada é gratuita, mas para alguns há cobrança de ingresso. Abaixo alguns dos principais:

Pode-se começar pelo templo Higashi Hongan-ji, que fica no centro da cidade, bem próximo à estação principal. Chama atenção pela grandiosidade e pelos seus belos jardins. Notar a corda feita de cabelos humanos doados voluntariamente para ajudar na reconstrução do templo.

Higashi

Higashi – fonte: The Explorer

 

Próximo dali está o Nishi Hongan-ji, que tem como principal atrativo algumas pinturas e esculturas.

NISHI_flickr

Templo Nishi Hongan-Ji – fonte: Flickr

 

Mais ao sul, o templo To-ji, construído no ano 794, formado por uma pagoda de 5 andares. Este tem entrada paga, o ticket custa ¥500 por pessoa.

To-ji temple

Templo To-ji – fonte: The Explorer

 

Se quiser ver um jardim japonês autentico, poderá encontrar no templo Ryoan-Ji.

Ryoan-Ji_flickr

Templo Ryoan-Ji – fonte: The Explorer

 

O templo vizinho o Ninna-Ji também conta com uma pagoda de 5 andares.

Ninna-Ji

Templo Ninna-Ji – fonte: Flickr

 

De lá pode seguir a pé ao norte e se preparar psicologicamente para a principal atração de Quioto – o Kinkaku-Ji, o pavilhão de Ouro. Foi erguido em 1397 como palácio do xogum Ashikaga e hoje recebe multidões de pessoas e suas máquinas fotográficas. A entrada custa ¥400. E para acabar o dia, o templo Daitoku-ji, que detém um belíssimo jardim.

Kinkaku-ji

Templo Kinkaku-ji – fonte: The Explorer

 

Deve-se destinar um dia inteiro para visitar o templo Kiyomizu-dera, situado perto da encosta de uma montanha e próximo a uma queda d’água que dizem ser sagrada.

Kiyomizu-dera2

Templo Kiyomizu-dera – fonte: Flickr

 

O entorno do templo é repleto de lojinhas acomodadas em casas de estruturas típicas do Japão. Pode-se provar os doces de feijão que são exclusivos da região e levar alguns omiyages (lembranças) para os parentes e amigos.

 

Lojas em Kyomizu-dera

Lojinhas em Kyomizu-dera – fonte: Flickr

 

Ali perto também está o Tainai-meguri, um Buda gigantesco ao pé da montanha.

tainaimeguri

Tainai-meguri – fonte: Flickr

 

Para quebrar um pouco esta visita aos templos, vale uma visita ao Palácio Imperial de Quioto (ou chamado de Quioto Gosho) e o Palácio Imperial Sento, que já foram a residência da família imperial até 1868, antes de a capital mudar de Quioto para Tokyo.

Palácio Imperial de Quioto

Palácio Imperial de Quioto – fonte: Flickr

 

 

Próximo dali está o castelo Nijo-jo, de 1603 que foi residência do Tokugawa Ieyasu, primeiro shogun do período Edo. É hoje uma das principais recordações do período feudal no Japão.

Castelo Ni-jo

Castelo Ni-jo – fonte: Flickr

 

Para terminar o passeio em Quioto, que tal fazer umas comprinhas no centro comercial? Próximo à estação de trem, estão as lojas de departamento Isetan e Yodobashi com uma infinidade de eletrônicos e dos mais diversos artigos que se pode imaginar. A tarde uma sugestão é ir até o bairro Gion, o reduto das Gueixas. E para fechar com chave de ouro, uma rápida subida à Torre de Quioto para admirar a cidade de cima.

Gion

Gion – fonte: Flickr

 Onde Comer

Tirando as comidinhas sensacionais de rua, quem vai a Quioto e puder gastar uma pequena fortuna, tem de provar a gastronomia Kaiseki, que trata-se de um menu degustação para comer com calma e saborear o momento. Uma sugestão é o restaruante Kiyamachi Sakuragawa (http://www.Quioto-sakuragawa.jp/ ) ou o restaurante Gion Karyo (http://www.karyo-Quioto.jp/gion/). Os jantares saem por volta de ¥3,500 por pessoa.

 

Kaiseki

Um dos pratos do menu degustação – Kaiseki. – fonte: The Explorer

 

isetan food hall

Food Court, na Isetan – fonte: Flickr

Nos pisos subterrâneos das lojas de departamentos, há inúmeros quiosques de vendas de comida. Pode-se encontrar de tudo, desde frutas embaladas para presente, sushis, até os mais refinados doces. Definitivamente é um lugar para visitar.

Outras opções mais baratas podem ser achadas dentro da estação de trem de Quioto. Existem diversos restaurantes para os mais variados gostos. Entretanto a gastronomia gira em torno da comida oriental. Experimente um Shabu-Shabu, uma espécie de caldo com carne, legumes e udon, onde você mesmo prepara a refeição. Caso não seja um grande fã da comida oriental, o jeito é se render à cadeia americana de fast food.

 

SHABU SHABU

Vitrine do restaurante com o Shabu-Shabu – fonte: The Explorer

Onde se hospedar

A sugestão é se hospedar na região próxima à Quioto Train station, a estação principal da cidade. A facilidade do acesso ao transporte e aos restaurantes da região ajudam bastante, principalmente depois de longos dias de caminhada. Entretanto, Quioto não é uma cidade grande, logo existem boas opções de hotéis mais ao centro da cidade, próximos de linhas de ônibus e do metro.

Quioto, Japão- informações gerais:

  • Idioma: Japonês. Raras pessoas falam Inglês, mas se esforçam para se comunicar.
  • Moeda: Yen
  • Visto: É necessário. Consultar o site do consulado mais próximo de sua cidade.
  • Melhor época para ir: Cada época do ano vai lhe proporcionar uma paisagem diferente. No Verão, as altas temperaturas convidam para um passeio a céu aberto. Na Primavera, há o espetáculo das cerejeiras (sakura). Elas duram em média 15 dias. No Outono o show fica pela coloração avermelhada das árvores e no Inverno, com um pouco de sorte pode-se ver os templos cobertos de neve.
  • Roupas: Levar roupas leves no verão e roupas térmicas que protegem do vento no inverno.

Gostaria de receber um roteiro personalizado para a sua viagem? Contrate o serviço de Personal Travel Consultant do The Explorer, e tenha em mãos um conteúdo exclusivo de acordo com o seu perfil! Programação, Atrações, Passeios, Entretenimento, Restaurantes, Mapas com rotas e até mesmo uma planilha com o Budget de sua viagem.
Entre em contato!

E-mail: [email protected]

Siga-nos no Facebook! facebook /theexploreroficial/

the_explorer_CMYK_end

Natan Zekcer

Natan Zekcer

Natan deixou seu trabalho na indústria automobilística para estudar MBA em Londres, onde morou por 2 anos. Sua paixão sempre foi viajar e conhecer o que o mundo pode proporcionar de experiências de vida. Conhecer lugares inusitados; pessoas; outras culturas e as respectivas gastronomias, são os prazeres que lhe enriquecem a alma. Já viajou pelos 5 continentes e desde que voltou ao Brasil, fundou o site The Explorer que tem ajudado viajantes de todo o mundo com roteiros personalizados e dicas de viagem.
Natan Zekcer

Últimos posts por Natan Zekcer (exibir todos)

Comentários