logo

Telefone: (11) 3024-9500

A bela e autêntica Québec: história e vida ao ar livre | Qual Viagem Logo

Quebec City and Old Port aerial view, Quebec, Canada.

A bela e autêntica Québec: história e vida ao ar livre

5 de fevereiro de 2018

Na província francófona do Canadá, descubra um roteiro pela cidade mais europeia da América do Norte, heranças aborígines e ao longo de um cenário natural que muda de acordo com as estações do ano.

O Canadá tem dois idiomas oficiais, mas é apenas em Québec que o francês é ouvido pelas ruas. A província mostra sua herança francesa não só na língua, mas também na gastronomia, na arquitetura, na religião e no modo de viver de seus habitantes. As diferenças entre Québec e o restante do Canadá já provocaram dois referendos separatistas por lá, um em 1980 e o outro em 1995. Mas a região se mantém pacífica e, além disso, guarda algumas das paisagens naturais mais icônicas do país.

O sul da província é repleto de florestas temperadas, cujas árvores ganham lindos tons avermelhados no outono. É exatamente a folha da árvore de maple – que existe em abundância nessas florestas – que está estampada na bandeira do Canadá. Por ser a maior província do país, com uma extensão que vai da fronteira com os Estados Unidos às proximidades com o Círculo Polar Ártico, Québec possui uma grande diversidade de destinos.

Para quem vai visitar a província, vale ir além de Montreal e conhecer outros tantos lugares surpreendentes em Québec, de cenários naturais de tirar o fôlego a uma das cidades mais históricas da América do Norte.

Um pedaço da Europa no Canadá

Única cidade amuralhada ao norte do México, a Cidade de Québec proporciona um verdadeiro charme do Velho Mundo. Capital da província, a Ville de Québec (seu nome em francês), ou apenas Québec, foi fundada por um francês em 1608, tornando-a muito mais antiga do que o próprio Canadá, que completou 150 anos em 2017. Entre os séculos XVI e XVIII, foi o centro da colônia francesa na América do Norte, até seu domínio passar para as mãos dos britânicos.

Já seu nome tem origem indígena. No idioma Algonquin, Québec significa “onde o rio é estreito”, pois a cidade está localizada bem no ponto em que o Rio Saint-Laurent afunila. Mas a herança cultural encontrada no centro histórico de Québec, local que é listado como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, é mesmo europeia. Além dos quase cinco quilômetros de muralhas que cercam a parte alta da Antiga Québec, ainda há uma série de monumentos, igrejas e outras construções que datam da época colonial.

Foto por Divulgação / Québec City Tourism

Foto por Divulgação / Québec City Tourism

Ao atravessar um dos portões que guardam o centro histórico, você se sentirá em alguma vila europeia, com ruas estreitas e várias casas enfileiradas e de mesmo estilo, com suas fachadas em pedra ou tijolos aparentes. A maioria delas não exerce mais a função de moradia, já que abriga agora restaurantes, cafés, hotéis, pousadas e lojas de souvenires. Tudo isso sem perder o charme. Praças, igrejas, artistas de rua e carruagens puxadas por cavalos completam o cenário.

Essas características fizeram do distrito histórico de Québec um lugar extremamente turístico. Grandes cruzeiros aportam na cidade, que fica lotada de visitantes durante o dia. Por isso, prefira pernoitar em Québec, já que à noite as ruas ficam bem mais tranquilas para passear – assim como todo o Canadá, a cidade é muito segura.

Foto por iStock / rabbit75_ist

Foto por iStock / rabbit75_ist

Caminhe ao longo do Terrasse Dufferin, uma extensa plataforma de madeira para a circulação de pedestres, com uma vista panorâmica para o Rio Saint-Laurent. Ali repousa um dos símbolos de Québec: o Fairmont Le Château Frontenac. Apesar da semelhança com um castelo, é na verdade um hotel de luxo. Perto dali está a Cidadela, uma fortaleza em formato de estrela onde acontece a troca da guarda – tradição herdada dos britânicos.

Ainda na parte alta do centro histórico, visite a Catedral de Notre-Dame de Québec e siga o passeio pela Rue Saint-Jean, repleta de lojas, restaurantes e até pubs. Na estreita Rue du Trésor, artistas exibem ao ar livre suas belas pinturas e fotografias – todas à venda. Depois, vale uma parada para almoço no Chic Shack com direito a um delicioso poutine, prato típico de Québec que consiste em batata frita, queijo e molho de carne.

Foto por iStock / ablokhin

Foto por iStock / ablokhin

No caminho para a parte baixa, opte pelas escadas (deixe o funicular para a subida de volta) e se depare com pitorescas casas antigas, ruas de pedra, cafés e lojas de chocolate e artesanatos, além de um mural grafitado que combina perfeitamente com o local. A área do Quartier Petit Champlain reúne algumas das ruas mais charmosas da cidade, como a Rue du Petit Champlain (a primeira de Québec), a Rue du Cul de Sac e a escadaria Casse-Cou, que rende ótimas fotos. Outro ponto de fazer suspirar é a Place Royale.

Todo o centro histórico fica ainda mais bonito e mágico durante o inverno. Festivais de rua são muito comuns no Canadá nessa época do ano, e a Cidade de Québec se supera ao realizar anualmente o maior carnaval de inverno do mundo. Ao longo de 17 dias (em torno do começo de fevereiro), acontecem mais de 200 atividades no Carnaval de Québec, como patinação no gelo, paradas noturnas, descidas de trenó, competições na neve e a montagem de um incrível palácio de gelo. Para vencer o frio, tome um pouco de Caribou, a bebida típica local que consiste em vinho tinto, uísque e xarope de maple.

Foto por Divulgação / Québec City Tourism

Foto por Divulgação / Québec City Tourism

Também vale visitar a Cidade de Québec no fim do ano, quando as decorações e os mercados temáticos de Natal criam um clima de conto de fadas. Já no Réveillon acontece uma grande festa ao ar livre com queima de fogos. Outros grandes eventos anuais são o Festival d’été de Québec (em julho) e as Fêtes de la Nouvelle-France (agosto).

Fora do centro histórico, Québec é uma cidade moderna e bem organizada, com prédios de escritórios, shoppings, parques e ótimos restaurantes e museus, como o Museu da Civilização e o Museu Nacional de Belas-Artes. Para saborear a deliciosa gastronomia local – que combina produtos locais com influências francesas –, as dicas são o Café du Monde, próximo ao porto, e o Ciel! Bistro-Bar, o único restaurante giratório em Québec. Localizado no alto de um dos maiores prédios da cidade, proporciona vistas de 360°.

Os belos arredores de Québec

Do centro de Québec é possível avistar uma ilha no meio do Rio Saint-Laurent, um lugar que preserva suas paisagens rurais e propriedades históricas do século XIX. Visitar a Île d’Orléans é como entrar em um mundo à parte, onde a vida é mais simples e calma. Mas não se deixe enganar pelo clima campestre: comprar uma casa ali sai bem caro, e os residentes não abrem mão de continuar morando na ilha.

Além de admirar os belos cenários, a diversão fica por conta da gastronomia, que se destaca com o conceito “da fazenda à mesa”. Aproveite iguarias feitas a partir de ingredientes cultivados na própria ilha, como batatas, maçãs, uvas, morangos e groselhas-pretas (ou cassis). O restaurante familiar Cassis Monna & Filles cultiva e usa essas frutinhas em todos seus deliciosos pratos, sejam eles doces ou salgados. Já na Chocolaterie de l’Île d’Orléans, as pessoas fazem fila para saborear chocolates artesanais e sorvetes.

Foto por iStock / Vladone

Foto por iStock / Vladone

A menos de 15 km do centro de Québec, o Parc de la Chute-Montmorency abriga uma linda cachoeira que é 30 metros mais alta do que as famosas Cataratas do Niágara e que cai sobre um precipício rochoso. Subir até o topo da cachoeira, onde há uma ponte suspensa que passa por cima da queda d’água, pode ser feito de teleférico ou por uma escadaria de 487 degraus. Você também pode admirar a vista lá de cima ao deslizar em uma tirolesa de 300 metros de comprimento.

A partir do parque, é possível chegar em menos de meia hora ao Santuário de Sainte-Anne-de-Beaupré, uma bela catedral em estilo neoclássico com imponentes colunas, obras de arte e vitrais coloridos. Com 350 anos de história e cerca de um milhão de visitantes por ano, é o mais antigo ponto de peregrinação da América do Norte.

Wendake: a Québec das Primeiras Nações

No Canadá, os povos aborígines são chamados de Primeiras Nações, um reconhecimento por terem se estabelecido no território muito antes da chegada dos colonizadores europeus. Há comunidades indígenas espalhadas por todo o país – só na província de Québec são 55 delas, habitadas por 11 povos diferentes. Essas reservas têm seus próprios governos, leis e estruturas, e seus moradores são descendentes dos aborígines.

Apesar de estarem integradas à vida moderna, as Primeiras Nações buscam cada vez mais resgatar suas antigas tradições. Ao lado da Cidade de Québec, Wendake é a única reserva do povo Huron-Wendat em todo o país, com cerca de 1500 habitantes. Essa nação tem tido muito sucesso em apresentar sua herança cultural para quem é de fora através de ótimas atrações turísticas.

Uma das principais é o Onhoüa Chetek8e, que recria um autêntico vilarejo Wendat de séculos atrás. O passeio guiado apresenta as tradições, os costumes, as lendas e as construções desse povo antigamente, sendo uma verdadeira imersão cultural. Para completar essa experiência única de visitar Wendake, é possível ficar hospedado dentro da comunidade, em um hotel boutique contemporâneo.

O Hôtel-Musée Premières Nations integra obras de artistas indígenas com um design moderno. Há ainda um Spa ao ar livre, o restaurante La Traite (com influências da culinária aborígine) e o Museu Huron-Wendat, que guarda vários objetos históricos.

Lanaudière e Mauricie: cenários icônicos e experiências únicas

A natureza na província de Québec é privilegiada. Pergunte a qualquer um que more ali qual o lugar mais bonito do Canadá. A resposta será unânime: Québec, é claro. Num primeiro momento, pode parecer apenas uma opinião tendenciosa. Mas depois de um ou dois dias por lá você perceberá que eles estão certos.

Foto por Divulgação / Hôtel Sacacomie

Foto por Divulgação / Hôtel Sacacomie

Montanhas cobertas pela floresta temperada, com árvores de maple, cedros, carvalhos e bétulas, cujas folhas mudam de coloração já no final do verão – do verde para uma bela variedade de tons vermelhos, laranjas e amarelos. Um lugar onde a paisagem está sempre mudando de acordo com o clima e nenhum dia é igual ao outro. Isso sem contar a vida selvagem abundante – de ursos pretos a castores e alces.

É exatamente esse cenário canadense tão autêntico que você vai encontrar nas regiões de Lanaudière e Mauricie. Não à toa, juntas formam a área denominada Québec Authentique, localizada bem entre Montreal e a Cidade de Québec. São 52 mil km² de uma natureza praticamente intocada, mais de uma dezena de parques nacionais e regionais e incríveis 30 mil lagos.

Foto por © L’auberge du Lac Taureau

Foto por © L’auberge du Lac Taureau

Apesar de ocupar cerca de 1/6 da área total do Canadá, a província de Québec tem menos habitantes do que a cidade de São Paulo. Desse modo, grandes aglomerações urbanas são escassas. Em Lanaudière e Mauricie não é diferente: por lá você encontrará vários pequenos vilarejos encantadores, com casas bem cuidadas no meio das árvores, de telhados inclinados e com varanda na entrada.

Porém, isso não significa que não há muito que fazer por lá. Assim como em todo o Canadá, atividades ao ar livre são especialmente populares, independente da temperatura que faz do lado de fora. As atrações em Québec Authentique vão de Spas nórdicos a trilhas e esportes de verão e de inverno.

Muitas dessas experiências em contato direto com a natureza são oferecidas pelos próprios hotéis da região (algumas pagas à parte). Com um clima bem aconchegante, a maioria deles tem o mesmo estilo rústico de uma grande cabana de madeira, porém com serviços de primeira qualidade e uma estrutura completa, de pousadas familiares a lodges de luxo. Além disso, esses hotéis costumam ser afastados das cidades, tornando-se verdadeiros refúgios.

Foto por © Découverte Québec

Foto por © Découverte Québec

Nos meses mais quentes, fazem sucesso atividades como passeios a cavalo, em quadriciclos, em mountain bikes e de caiaque. Há também trilhas, pesca, arco e flecha e muito mais. Já o inverno é o momento de aproveitar todas as experiências únicas que essa estação oferece, além de admirar as lindas paisagens cobertas de neve e gelo. Faça passeios em motos de neve ou em trenós, patinação no gelo, esqui cross-country, descidas em escorregadores de gelo ou até mesmo participe de um jogo de hóquei.

Não há dúvidas de que algumas dessas experiências serão inesquecíveis. No Auberge du Lac Taureau, um belo hotel às margens do maior lago da região, é possível explorar esse grande espelho d’água pilotando um jet ski. No coração de uma exuberante floresta, o Hôtel Sacacomie oferece passeios de hidroavião – a mais de 200 metros de altitude, as vistas são ainda mais deslumbrantes.

Foto por Divulgação / Hôtel Sacacomie

Foto por Divulgação / Hôtel Sacacomie

Outro destaque do Sacacomie é o tour para observar ursos e castores selvagens em seus habitats naturais. Além de oferecer hospedagem em chalés confortáveis, o Pourvoirie Domaine Bazinet é o paraíso para quem curte pescaria, com seis lagos repletos de trutas. Já no Auberge du Vieux Moulin, saboreie o xarope de maple produzido na própria pousada e aproveite o Spa nórdico ao ar livre sob o céu estrelado.

Aliás, o conceito dos banhos nórdicos está cada vez mais difundido em Québec. É uma terapia de origem escandinava que combina os extremos entre o quente e o frio. Primeiro você deve, por exemplo, entrar em uma sauna ou uma piscina de água bem quente para, em seguida, mergulhar em uma piscina com água gelada. Descanse e repita o processo mais algumas vezes. O choque de temperaturas é relaxante e benéfico para os músculos, as articulações, o sistema imunológico, a pele e muito mais.

Foto por Divulgação / quebecoriginal.com

Foto por Divulgação / quebecoriginal.com

Você pode viver essa experiência no belo La Source Bains Nordiques, um Spa completo com saunas seca e a vapor e piscinas ao ar livre com cascatas e hidromassagem, tanto quentes quanto frias. O local fica aberto mesmo no inverno, quando é possível aproveitar banhos quentes ao ar livre em uma paisagem nevada.

SERVIÇOS

Quando ir

Com um clima temperado e quatro estações bem definidas, cada época do ano tem o seu atrativo e a sua beleza. As temperaturas médias podem variar de 25ºC em julho a -8ºC em janeiro.

Como chegar

A Air Canada é a única companhia aérea que opera voos diretos entre o Brasil (São Paulo/Guarulhos) e o Canadá (Toronto). A partir de Toronto, pegue um segundo voo com destino a Montreal ou à Cidade de Québec.

Onde ficar

CIDADE DE QUÉBEC

Hôtel-Musée Premières Nations – hotelpremieresnations.ca

Hôtel Manoir Victoria – manoir-victoria.com

Fairmont Le Château Frontenac – fairmont.com/frontenac-quebec

LANAUDIÈRE e MAURICIE

Auberge du Lac Taureau – lactaureau.com

Auberge du Vieux Moulin – auberge-lanaudiere.com

Hôtel Sacacomie – sacacomie.com

Onde comer

CIDADE DE QUÉBEC

Ciel! Bistro-Bar – cielbistrobar.com

Café du Monde – lecafedumonde.com

Chic Shack – lechicshack.ca

Cassis Monna & Filles – cassismonna.com

LANAUDIÈRE e MAURICIE

Chez Dany Sugar Shack – cabanechezdany.com

Mais informações em: quebecoriginal.com, quebecregion.com e quebecauthentique.com

Texto por: Patrícia Chemin. A jornalista viajou a convite do Destination Canada para participar do evento GoMedia Canada, em parceria com Authentic Québec, Québec City Tourism e QuébecOriginal, e com a proteção do seguro-viagem da GTA – Global Travel Assistance.

Foto destaque por: iStock / rmnunes

Confira matéria na integra na edição de fevereiro da revista Qual Viagem. Ou baixe nosso app (disponível para aparelhos iOS e Android) e leve o conteúdo desta edição e das anteriores com você!

Comentários