logo

Telefone: (11) 3024-9500

7 coisas que você (talvez) não saiba sobre Cingapura | Qual Viagem Logo

P1127955

7 coisas que você (talvez) não saiba sobre Cingapura

5 de agosto de 2016

Ela fica do outro lado do mundo, é uma cidade-estado ultra moderna localizada no sudeste asiático, foi eleita a cidade mais cara do mundo para se viver (help!) e tem despertado cada vez mais o interesse dos brasileiros – que topam enfrentar quase 30 horas de viagem (e um jet lag miserável!!!) para conhecer suas ruas, museus, templos, lojas, restaurantes e, claro, bater muitas fotos no topo do Marina Bay Sands.

No mês em que Cingapura comemora seus 51 anos, decidi fazer uma listinha de algumas curiosidades que podem ser bastante úteis (ou completamente descartáveis, porém interessantes!) durante sua visita pelo país.

P1127955

Marina Bay Sands

1.SINGLISH:

Em sua história, Cingapura foi dominada por diversos impérios até que no início do século XIX o inglês Sir Stamford Raffles, muito esperto, percebeu o potencial do lugar e tomou posse de seu porto. Consequentemente, a Inglaterra passou a controlar toda a ilha e influenciar os costumes e a cultura do povo local. Mesmo com a breve ocupação dos japoneses durante a Segunda Guerra, Cingapura terminou voltando para o domínio britânico em 1945 até tornar-se uma república independente em 1965. Uma das principais consequências da presença inglesa na ilha foi a instituição do idioma inglês como sendo o mais utilizado no país, embora outros três sejam também reconhecidos como oficiais: chinês, malaio e tâmil (reflexo da população multirracial que vive no país e é composta basicamente por chineses, malaios, indianos e eurasians).

Entretanto, o que se ouve muito nas ruas entre os locais é um inglês com sotaque e expressões únicas, influenciado principalmente pela gramática e vocabulário chinês e malaio. Para este dialeto até nome já foi criado: singlish – também conhecido pelos acadêmicos como Inglês Coloquial de Cingapura. A coisa é tão organizada que tem ate dicionário de singlish para os não-iniciados (lembrei do baianês!!! rsrs). Entre as expressões mais utilizadas está  famoso “lah” – que encerra quase todas as frases do legítimo cingapuriano, não importa qual seja o contexto!

Vale dizer que o governo não é muito fã do singlish e tem realizado campanhas no país para incentivar o povo a falar o “inglês certo”. Particularmente, acho o singlish uma expressão cultural muito interessante que reflete essa mistura étnica que é Cingapura.

Então não se assuste se, ao chegar aqui, você demorar pra entender o que o pessoal está dizendo. É o efeito singlish!

2.MÃO INGLESA: outro resultado da influência britânica no pais é visto no trânsito, que funciona todo na mão inglesa. Ou seja, carros, ônibus e motos dirigem sempre do lado esquerdo da pista (ou seja, o lado errado!!! :p). No começo é estranho ver carros sem motorista do lado esquerdo, pois volante, marchas e tudo mais fica no banco direito. A primeira vez que dirigi aqui achei que ia bater o carro em 5 segundos, mas o truque é manter o carona o mais perto da calçada possível (de preferência, sem subir no meio fio!) 😉

3.DURIAN: considerada por muitos asiáticos a rainha das frutas, mais deliciosa que todas as outras, Durian é um dos símbolos de Cingapura. Se é a mais deliciosa das frutas, não sei. Mas com certeza é a mais fedorenta!!! O cheiro é tão forte e desagradável que a fruta é proibida em diversos lugares públicos, como nos meios de transporte, hotéis e em muitos estabelecimentos comerciais. Em sua forma, o durian lembra uma jaca, mas menor e mais pontuda.

Durian smelly and tasty fruit from Thailand Asia

Foto: iStock/Taitai6769

A fruta é tão apreciada por aqui que até uma homenagem arquitetônica foi feita! O famoso Esplanade Theatre, localizado às margens da Marina Bay, foi todo projetado para remeter à casca da fruta. Ficou bem bonito e, o melhor, inodoro! 😉

Singapore - April 3, 2012: Aerial view of the Esplanade Theatre in Singapore.

Foto: iStock/Dhurandar

4.CHICLETE:

“Se você não consegue pensar porque não pode mascar chiclete, experimente uma banana”. A frase, dita pelo ex-primeiro ministro de Cingapura Lee Kuan Yew (responsável pela transformação do país e falecido no ano passado), reflete bem a postura que a cidade teve durante anos em relação à venda de chicletes. Entre 1992 e 2004 Cingapura simplesmente baniu a importação, fabricação e venda de gomas de mascar no país, sob o pretexto de que os custos com limpeza de ruas e calçadas estavam muito altos!

 

Colorful candy gum on old wooden table.

Foto: iStock/kiko_jimenez

Após muita negociação (e reclamação!), a venda de chicletes foi liberada em 2004, porém com ressalvas. Apenas gomas com finalidades terapêuticas podem ser vendidas em farmácia (tipo chicletes que contêm nicotina ou sem açúcar), mas é preciso apresentar um documento de identificação ou pedido médico.

Estranho, mas é melhor que nada (pelo menos para mim, viciadinha num chiclete)!!! 😉

5.MAIORES SALÁRIOS DO MUNDO:

Ao longo de seus 51 anos como uma república independente, Cingapura mudou bastante e tornou-se uma ilha de prosperidade, luxo, riqueza e desenvolvimento. Boa parte disso é mérito de uma política austera, por vezes bastante criticada (especialmente no que diz respeito ao não exercício pleno da democracia e a existência de censura), mas inegavelmente eficiente. A corrupção no governo conseguiu ser controlada e praticamente banida. Raros são os escândalos e, quando ocorrem, os culpados são punidos sem demora.

Uma das estratégias do governo é pagar altos salários para seus líderes. Primeiro-ministro e ministros chegam a ganhar mais de U$1 milhão por ano. Demais funcionários públicos também têm bons salários. A lógica é a de que melhores remunerações atraem melhores talentos e também são um escudo contra favorecimentos pessoais. Além da remuneração fixa, há também uma variável – diretamente relacionada à qualidade do trabalho executado.

Foto: iStock/SIphotography

Meritocracia pura e simples, meus amigos.  Faz sentido, não?

6.ÁRVORES REGISTRADAS:

Cingapura possui 256 árvores registradas como patrimônio natural do país. Essas árvores, cuidadosamente selecionadas em diversos pontos da cidade, são consideradas antigas (tem árvore até de 155 anos!!!) e servem como marcos ecológicos da cidade. Há também uma analogia com o país, que levou décadas para crescer e amadurecer como nação (muito poético!). Criado em 2001 o programa vem se desenvolvendo e hoje existem iniciativas diversas para proteção das árvores, como instalação de para-raios, sinalização interpretativa e até um programa que inclui a comunidade no esquema de escolha e nomeação das árvores.

Row of Christmas pine trees isolated on a white background

Foto: iStock/DutchScenery

7.DIVIDINDO A CONTA:

Apesar de ser uma metrópole super moderna e cosmopolita, Cingapura ainda tem umas coisas estranhas que eu simplesmente não consigo entender. Algo trivial, como “rachar” uma conta com amigos em cartões de crédito diferentes, pode ser uma dor de cabeça. Muitos restaurantes por aqui ainda não fazem este tipo de operação, o que pode te deixar numa situação chata ou até mesmo complicada (pagando a conta pra galera ou tendo que catar dinheiro pra pagar sua parte!). Por via das dúvidas, ao sair com amigos, procure checar antes se o estabelecimento divide a conta. Caso contrário, faça pedidos separados para que as contas venham separadas.

#ficaadica 😉

Payment lunch at the restaurant.

Foto: iStock/Nordroden

Espero que você tenha curtido essas curiosidades e esteja ainda mais afim de conhecer este lugar tão interessante, diferente e multicultural.

See you lah!

Beijos. 😉

Texto e fotos por: Andrea Bessa, do Blog Na Carona

Comentários